O blog vai à Mostra: Wajda detalha o massacre de “Katyn”

O blog vai à Mostra: Wajda detalha o massacre de “Katyn”

Em 1º de setembro de 1939, a Alemanha invadiu a Polônia, dando início à Segunda Guerra Mundial. Dezessete dias depois, vindo do leste, o exército russo também invadiu o país, dividindo-o ao meio com os nazistas. O drama dos poloneses, oprimidos entre dois invasores, um de cada lado da ponte, é exibido logo na cena de abertura de “Katyn”, o mais recente e talvez mais impressionante filme de Andrzej Wajda (“Danton, o Processso da Revolução”, “O Homem de Ferro”).

As conseqüências da ocupação nazista são bem conhecidas, sobretudo o extermínio de milhões de judeus em campos de concentração. Já as marcas da ocupação soviética são menos notórias. O seu ato mais bárbaro ocorreu em meados de 1940, quando 15 mil oficiais do Exército polonês foram assassinados a céu aberto com tiros na cabeça e enterrados em valas comuns em Katyn, no interior da União Soviética.

Além dos dramas resultantes de um massacre que exterminou parte da elite polonesa (havia engenheiros, advogados, médicos etc entre os reservistas assassinados), o país conviveu por décadas com a proibição de falar desta atrocidade, já que a Polônia se tornou aliada da União Soviética a partir de 1945 – e o que ocorreu em Katyn virou um tabu.

Wajda sonhou por anos em levar a história deste massacre às telas, mas só conseguiu fazer isso em 2007. O pai do cineasta estava entre os mortos em Katyn, ele conta. Aos 81 anos, o mais famoso cineasta polonês fez um filme que é um acerto de contas pessoal, mas também de todo um povo com a sua história e a de seus inimigos. Cerca de 2 milhões de poloneses, em uma população de 38 milhões, assistiram a “Katyn” no ano passado. Candidato ao Oscar de filme estrangeiro em 2008, perdeu a estatueta para o tcheco “Os Falsários”, de Stefan Ruzowitzky. 

Para um brasileiro, pode haver algumas dificuldades em acompanhar detalhes da história, mas o essencial não se perde (Um excelente artigo sobre o filme, no “New York Review of Books, pode ser lido, em inglês, aqui). “Katyn” trata de uma atrocidade sem tamanho, daquelas que nos deixam perplexos e sem esperança. A propósito, os últimos 15 minutos do filme, ao longo dos quais Wajda recria de forma realista o massacre, são muito difíceis de assistir. Esteja preparado, caso deseje encarar.

“Katyn” será exibido neste sábado, dia 18, às 21hs, na Cinemateca, sala BNDES, e no domingo, dia 19, às 19h30, no Cinemark do Shopping Eldorado.

27 Replies to “O blog vai à Mostra: Wajda detalha o massacre de “Katyn””

  1. Filminho meio estranho esse. Por um lado nazis matam milhões e , por outro lado, o “comunismo” mata quinze mil? E, esse último massacre que é focado? Sr. Mauricio, não assisti ao filme, só li o que o Sr. escreveu (ruinzinho não?). Quem invadiu quem? Quem colaborou com quem? Quem matou quem e por que? Se essa escrita é a chamada do filme, é melhor nem assistir essa bagunça.

  2. Parece que o Sr.Antonio não entendeu nada. É melhor mesmo ue não vá assistir ao filme.
    Quanto a sua descrição do filme, realmente chocante porém verdadeira. Parabens para o cineasta que está revelando ao mundo mais verdades sobre fatos ocorridos e desconhecidos.

  3. O massacre de Katyn é uma página negra do Stalinismo e um grande tabu. Fala-se muito dos massacres alemães (deve-se lembrar que estes não eram só nazistas, mas alemães também, e os seus massacres são igualmente horrorosos) mas muito pouco dos massacres soviéticos. Também têm-se a tendência de esquecer q

  4. continua…
    esquecer que russos e alemães eram aliados até a invasão alemã, em 1941. Os poloneses têm, até hoje, ódio aos russos, por isso sempre foram ponta de lança de todas as iniciativas de se afastar deles – Sindicato Solidariedade, adesão à OTAN, etc.

  5. Só uma perguntinha ao sr. Desconhecido. Alguém que não tem coragem e moral para se identificar tem condições éticas para questionar alguém? Covarde mesquinho!

    Resposta de Mauricio Stycer
    Caro, retirei o comentario do leitor que se identificou como Desconhecido porque não dizia respeito ao assunto do post e fazia acusações graves, sem apresentar provas, além de não se identificar.

  6. “Quem ganha a Guerra conta a História…” Durante anos os, então, Soviéticos, imputaram aos Alemães o intenso massacre de oficias poloneses. E, em Nuremberg, houve um grande constrangimento por parte dos promotores Soviéticos, que desejam culpar os Nazistas. E, ainda. Stalin desejava fazer o mesmo com os oficiais alemães no pós-guerra isso não aconteceu porque Churchil e Trumam não permitiram.
    O filme tira um pouco do tão propalado brilho dos BoLcheviques, mas… isso é outra História!

  7. Dona Sonia Roiter, a Sra. que não entendeu. Todos devem assistir ao filme sim. Toda forma de opressão, seja onde e de quem for, tem e deve ser denunciada. Não importa caso fosse um só assassinato, deve ser mostrado e denunciado para nunca mais acontecer. Quanto mais debate, mais conhecimento e curiosidade. Disse que a Sra. não entendeu mas, não significa que a Sra. esta errada, ao contrário, a Sra. está certa.

  8. Parece que passa desapercebido nos comentários, até mesmo do indignado Antônio, que nesta época, 23 agosto 1939, URSS Stalin assina c/ Alemanha Hitlerista pacto não-agressão poucos poderiam esperar, conhecido Pacto Molotov-Ribbentrop. A URSS garantia a Alemanha, que o Sr Antônio diz que matou milhões, a liberdade de invadir França e a Europa, em 10 de Maio de 1940. Tratado desfeito por Hitler, e não Stalin, quando este invade a URSS, em 22 de Junho de 1941. Isto que no dia 26 de abril de 1937 os bombardeiros da Legião Condor reduziram a cinzas a cidade basca de Guernica. Socialistas aliados de Moscou. Tudo poderia ter sido diferente se não tivesse havido a união socialista nacionalista com a internacionalista contra o capitalismo e o liberalismo, na época.

  9. Uma frase do Wajda: “Um povo que não procura conhecer a sua história não pode considerar-se uma nação”. Wajda, o único cineasta que fez um filme sobre o assassinato do seu pai. Como deve ter sido difícil!

  10. Além de ver o filme Katyn e conhecer a verdade sobre o massacre, devemos ler o livro O Levante de 44, e nos informarmos sobre o Massacre do Povo de varsóvia em 1944 pelos Alemães com os Russos, sentados e vendo de cadeirae não permitindo ajuda elos Ingleses e Americanos.

  11. Penso que “Katyn” talvez seja o filme mais importante do renomado cineasta Wajda. Com maestria – música, fotografia, roteiro, imagens sutis, … – e originalidade, já que o filme é focado através do olhar das viúvas polonesas, Andrzej Wajda mostra ao mundo, de forma objetiva, isenta, e não maniqueísta, a autoria do massacre de Katyn, ordenada por Stalin, e não Hitler. Uma mentira que o Estado comunista tentou oficializar, mas que finalmente foi demascarada pela verdade fática mostrado por Wajda: a humanidade te agradece, mestre Wajda !

  12. O incrível no DNA do humanoide é que sempre há alguém que acha graça na morte de pessoas. E ainda faz graça dizendo que a quantidade que importa. Se são milhões, OK; se são milhares, isso não significa nada para ele.Isso é um grande problema, pois é por isso que estamos nesta m.r.a., quando os HOMENS poderiam realizar o paraiso na Terra.

  13. Estamos cercados por atrocidades sendo cometidas neste momento em algum lugar do planeta. Seja por diferenças raciais, religiosas ou políticas. E só alguns fatos e fotos chegam ao conhecimento da população INFORMATIZADA!!!!
    Imagine 6 décadas passadas, com o mundo dividido do pós guerra, sem internet e banda larga . Katyn sempre foi uma realidade controversa, embora se soubesse sua autoria. E quando alguem como Wajda resgata a verdade, só merece nossa admiração, mesmo que só ele aparecesse contando a HISTÓRIA!

  14. Que coisa deve ter sido para Wajda mexer nesse episódio, revolvendo sua própria história familiar.

  15. Se um cidadão em 2008, a exemplo do absolutamente Néscio SR. ANTONIO J., não sabe de fatos nucleares ocorridos na 2º guerra Mundial, como é o caso do massacre de Katin, e faz perguntas em cima de uma descrição clara, nem sei o que dizer, mas la vai :
    1-) A união Soviética invadiu a metade leste (na verdade menos da metade) da Plônia.
    2-) Ninguém colaborou com ninguém.
    3-) Os militares soviéticos, a mando de Stalim, extirparam a ”cabeça” do exército polonês (os 15 mil oficiais)para deixá-lo enfraquecido por muitos anos, sem capacidade de se reorganizar e causar futuros problemas.
    4-) Um filme desta magnitude, sobre um tema destes É MELHOR, SEM DÚVIDA de assistirdo que mqualquer outro sobre bobagens como ficção, aventura e comédia, que são inúteis do ponto de vista cultural, histórico, moral e filosófico.

  16. ERRATA : na minha mensagem anterior, leia-se POLÔNIA e não Plonia, bem como leia-se STÁLIN e não Stalim, como ficou grafado.

  17. massacres todos fasem,porem vale a versão do vencedor .Voces acham que os aliados tambem não fiseram seus massacres? fiseram sim.Na verdade todos os líderes eram guerreiros frios.A guerra era para eles uma coisa natural,todos pensvam assin,des do ditador nazista até os líderis aliados. O massacraque de Katin é um nada comparado ao bombardeio de Dresdem que matou mais civis que as duas bombas atomicas lançadas no Japão

  18. queria lembrar ao sr. jorge antonio com todo o respeito, que o seu argumento não procede, pois foi Htller que iniciou a 2a. Guerra Mundial, e tentou promover o genocício de judeus, ciganos, homossesuxais, logo a culpa sobre o ataque aos civis alemães repousa uniciamente em Hitler. Considero ofensivo dizer que o massacre de Katyn,- cuja autoria foi escondida vergonhasamente por Stalin é uma nada. “Pimenta nos olhos dos outros é refresco”. Se algum parente – Deus me livre ! – hipoteticamente, do sr. Jorge tivesse sido assassinado em Katyn, será que a sua opinião seria a mesma ? Rodrigo Lychowski

  19. Com o mesmo tom políticamente correto,quero lhe diser uma coisa,Sr.rodrigo Luchowski,que TODOS são responsaveis pela 2gm.cada um comtribuiu com um pouquinho,conforme as suas conveniencias.Um massacre não justifica o outro. Se nos basearmos em quatidade de vítimas,o massacre de desdrem é superior ao massacre nuclear praticado comtra os civis Japonezes. Porque só os Nazistas são culpados? De que tem medo? Seja corajoso e afirme:Nazistas e aliados?montros macabros,gurreiros frios,suas ideias e ações pareciam saIr de antros infernais

  20. sugiro que o sr. jorge antônio vá até Auschiwitz e visite o museu, entre nas celas, nas câmaras de gás. Meu avõ esteve preso lá porque era oficial da resistência polonesa e eu nem pude conhecê-lo, pois saiu quase morto de lá. É evidente que os aliados cometeram crimes de guerra, e tais criam deveriam ser julgados. Todavia, acho muito difícil “minimizar” um massacre, sem ter estado lá. Penso que quanto mais conhecemos uma realidade, maior credibilidade terá a nossa opinião sobre a questão. abraços, feliz natal !

  21. o massacre de katin, na russia, onde stalin mandou executar vinte dois mil cidadaos civis e militares poloneses e uma gota no oceano de sangue das quarenta milhoes de mortes ordenadas por stalin. andrej wajda consegue nos mostrar a intensidade e frieza do odio que os russos tinham pelos poloneses.os russos tentaram destruir a patria livre polonesa. esses metodos sao conhecidos na historia , quebrar as instituiçoes, tirar a terra de quem produz,destruir o amor pela patria, enfim… a historia se repete e o objetivo e a tomada do poder a qualquer preço efinalmente o povo todo pagara a conta.

  22. ASISTI AO FILME E GOSTEI DE ENTENDER MELHOR A HISTÓRIA DA HUMANIDADE.
    PENSO AGORA: NOS ÚLTIMOS MINUTOS DO FILME, OS ASSASSINATOS TÃO FRIAMENTE CONDUZIDOS FORAM DE UMA ANIMALIDADE TAMANHA QUE IMAGINO EU EXISTIREM PESSOAS TÃO SEM CORAÇÃO, OS EXECUTORES E SEUS MANDANTES, MUITOS MAIS DOS MANDANTES, QUEM DEU A ORDEM PARA EXTERMINAR COM AQUELES SERES HUMANOS, QUE PODERIAM ESTAR PRESOS, E DEPOIS COM O DESENROLAR DA GUERRA, PODERIAM ESTAR VIVOS, MAS NÃO, PREFERIRAM MATÁ-LOS TÃO COVARDEMENTE. SOU BUDISTA DE NITIREN DAISHONIN, E HOJE, APÓS VER O FILME, TENHO PENA DOS ENVILVIDOS EM ATO TÃO MISERÁVEL E SEM SENTIDO. TÃO FRIO QUANTO TANTOS OUTROS QUE A HISTÓRIA DESCREVE. CAUSA E EFEITO. QUEM SABE A VIDA DESSES PARTICIPANTES COMO PODE ESTAR? QUEM SABE COMO CACHORROS SARNENTOS A ROLAR LATAS DE LIXO PELO MUNDO A FORA… PAGA-SE AQUI COM ATOS TÃO (SEM ADJETIVOS PARA COLOCAR) , NÃO VIVERÃO PARA DEPOIS SOFRER NUM INFERNO “INVENTADO”, SOFRERÃO AQUI AS CONSEQUÊNCIAS DOS SEUS ATOS. SEM MAIS PALAVRAS.(DESCULPEM SE ERREI ALGUMA PALAVRA, MAS ESTOU ENOJADO E DESILUDIDO COM A RAÇA HUMANA). QUEM PARTICIPOU DESSEE OUTROS MASSACRES, PODE SER CONSIDERDO HUMANO?

  23. O que mais me intriga na 2ª guerra, e saber porque quando a URSS invadiu à Polônia junto com a Alemanha, os aliados não declararam guerra também a URSS, assim como fizeram com a Alemanha? Por que? Em nome do que ou de que, assim não procederam? Alguem sabe?

  24. Enquanto o ser humano existir na Terra, a arte jamais o abandonará. O cinema, produto da Revolução Industrial,
    também não. Viva os cineastas que conseguem recontar com classe e verdade fatos históricos vergonhosamente omitidos pelos podres poderes!
    Seja nazismo ou comunismo, qualquer tipo de ditadura – inclusive a que se instalou aqui de 1964 a 1985 – sempre deverá ser demonizada, aniquilada. E para quem achava que Stálin era bonzinho, está aí a resposta: para um soldado nazista, seria melhor cair como prisioneiro nos exércitos do oeste do que nos do leste… Vejam o filme e reflitam.
    Parabéns ao cinema polonês!

  25. O filme deve ser passado nas universidades para que os estudantes vejam os fatos que ocorreram sob um regime comunista.

  26. Como sempre, a natureza primitiva, animal, aliada à ganância e a busca pelo poder, mascaradas por “ideais” e a busca do “bem comum”…Fatos como este e tantos outros somente conhecidos agora, somados a tantos já relatados pela história mundial, nos retratam o nível baixo da evolução moral do homem.Quantos outros fatos de atrocidades humanas na nossa história evolutiva ainda não vamos conhecer?? O homem na pré história, as inquisições, a igreja católica e seus “homens santos” nazistas, comunistas, militares e não militares cegos pelo poder e por falsos ideais, judeus, muçulmanos, a “guerra santa” que de santa nada tem, os “mocinhos americanos” que tanto lucram com as guerras “em nome da paz”, nos mostram o quão pequenos e primitivos somos! A verdade, por mais “escondida”, nunca deixa de ser revelada, e muitas outras ainda virão para nos fazer enxergar o quanto precisamos aprender com ela!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *