Por que o debate sobre concentração não avança no futebol?

Por que o debate sobre concentração não avança no futebol?

Há dois dias, Ronaldo fez uma ótima observação sobre o excesso de concentração no Corinthians. Disse ele: “Se concentração ganhasse jogo, o time do presídio venceria sempre. Temos que fazer o máximo para conseguir esse título e passar o resto do ano mais tranquilo, porque eu, particularmente, estou cansado”.

A frase teve muita repercussão, mas pouca discussão – e não lembro de ter lido nenhuma menção ao seu autor original, o jornalista João Saldanha (1917-1990), que disse: “Se concentração ganhasse jogo, o time da penitenciária seria campeão invicto.” Desde o final da década de 60, Saldanha defendia a idéia que os excessos da concentração eram desnecessários e que os jogadores de futebol, em sua maioria, tinham consciência que o desempenho em campo estava relacionado ao bom estado físico.

Saldanha foi um dos precursores no futebol da idéia de oferecer “liberdade com responsabilidade” aos atletas. Adotada em outros países a partir da década de 70, a proposta nunca encontrou eco no Brasil, salvo em raros episódios, como a Democracia Corintiana, liderada por Sócrates, na década de 80.

Mano Menezes evitou polemizar com Ronaldo, mas defendeu o rígido regime de concentração adotado pelo Corinthians: “É um sacrifício explicável num momento como esse”, disse, encerrando o assunto.

Como ocorreu com Saldanha, Ronaldo pregou no vazio. Creio que no ambiente do futebol brasileiro permanece forte a idéia que os jogadores, em sua maioria, são crianças irresponsáveis, que só pensam em se divertir, e que precisam ser tuteladas.

Estou com Saldanha e Ronaldo: acho que concentração não ganha jogo. O que você acha?  Por que esse debate não prospera no Brasil?

Aproveito para recomendar duas leituras a quem se interessar em conhecer um pouco mais das idéias de João Saldanha. São duas ótimas biografias sobre o jornalista; “João Saldanha – Sobre nuvens de fantasia”, de João Maximo (Relume Dumará), e “João Saldanha – Uma vida em jogo”, de Andre Iki Siqueira (Companhia Editora Nacional).

24 Replies to “Por que o debate sobre concentração não avança no futebol?”

  1. Concordo com você, com o Ronaldo e com o saudoso João Saldanha, escrevi ao Mano pelo Twitter dele, incentivando-o a parar e reavaliar esse tema.
    Creio que a concentração excessiva, pode não apenas causar o fim das piadas entre o elenco, mas também começar a criar atritos… não tem necessidade de deixar o elenco concentrado por dias a fio para um jogo.

  2. A partir do momento em que os jogadores demonstrarem o mínimo de maturidade, tal questão poderá ser válida.

    Ao meu ver, a falta de instrução da grande maioria dos jogadores de futebol no Brasil faz com que a melhora de condições de vida dos mesmo “suba a cabeça”. Desse modo, por possuir uma condição financeira mais favorável , pode acabar se desviando dos objetivos desejados pelo clube (e por ele mesmo como atleta).

    Viajei muito!? ehhehe

    Até mais!

  3. Acho q o jogador brasileiro, jogando no brasil, nao está preocupado com essa responsabilidade. Sou corinthiana, adoro o ronaldo, mas creio que, mesmo com a concentração sendo como é, ele e outros extrapolam, passam noites na farra (em P. Prudente, eles estavam concentrados, ou não?), imagfina se for dada liberdade com responsabilidade?
    Ai é q ninguem se “resguarda” para dia de jogo mesmo!
    Enquanto o jogador não tiver consciência q seu descanso, sua “concentração” e sua disposição física fazem diferença no seu desempenho em campo, ele nao tratará o assunto com responsabilidade.

  4. Concordo com Ronaldo, Saldanha e com o autor Mauricio. Realmente o jogador é visto como uma criança irresponsável e bagunceira e tem de ser não só vigiado e paparicado como são os brasileiros. Mas será que essa forma de agir não se dá pelo fato de que são vigiados e paparicados? Acredito que se deixarmos os jogadores sobre sua própria responsabilidade quanto ao seu desempenho físico mostrará os verdadeiros profissionais. Incluvise,acredito que o próprio Ronaldo já deu diversar demonstrações de que não é um desses jogadores digamos assim: “responsáveis”. Mas eu acho que se ele não quiser, tranca-lo em hotéis de “20 estrelas” por 6 dias na semana não vai ser a solução. Afinal, o principal interessado no melhor desempenho tem que ser o próprio jogador.

  5. Acho que a mentalidade dos dirigentes dos clubes é a mesma que eles pretensamente acham que os jogadores fariam fora da concentração. Tema a mentalidade do autoritarismo e as vezes são reféns dos craques, por ser amadores. Não investem na categoria de base para uma educação de uma formação profissional e responsável do futuro jogador. Alguém já viu algum clube, com um professor de ética e conduta profissional em seus clubes. Piscologos para melhorar o caracter dos profissionais da bola. A concentração é nada mais do que o poder exercicido pelos dirigentes sobre o amadorismo da sua paixão clubista.

  6. Concordo com você Maurício, apesar de achar que o Ronaldo foi infeliz na sua colocação. Não pelo teor, mas pelo momento em que o time se encontra, véspera de uma decisão. Não era o momento adequado para desferir uma crítica à comissão técnica.
    Agora quanto à concentração também acho exagerado. Acredito que existam sim muitos jogadores irresponsáveis com sua saúde e condição física, mas esse “sistema de babá” que os clubes implantam acaba por alimentar esses pseudo-atletas. Se os clubes adotassem um esquema mais liberal, transferindo a responsabilidade para os atletas, aos poucos aqueles que não se dedicam, que querem sobreviver apenas pelo talento, cairiam na real e passariam a ser mais dedicados, ou então seria execrados. Me entendam, não estou desprezando o talento, ele é muito importante sim, mas sabemos que cada dia mais a força física tem feito a diferença nos jogos de futebol.
    Um abraço.
    Rodrigo

  7. É QUE ESSA GAROTADA DO FUTEBOL EM SUA MAIORIA NÃO TEM NENHUMA RESPOSABILIDADE, E PRA ELES IREM EM UMA BOATE E FICAR ATÉ A HORA DO JOGO POUCO CUSTA.

  8. Não concordo. A concentração não serve apenas para evitar que os jogadores façam bobagens por aí. Ela serve psicologicamente para fazer a equipe focar, perceber a equipe e sentir a importância dos jogos. O próprio Ronaldo dá bandeira: “Temos que fazer o máximo para conseguir esse título e passar o resto do ano mais tranquilo”. É a concentração que faz ele querer dar o máximo!

  9. Stycer… Concentração é importante, principalmente em se tratando da imprensa brasileira… Se deixar vira bagunça e o jogador que deveia estar focado no jogo vai focar em sair, curtir, dar entrevista, aparecer na tv… Será que não foi falta de concentração que nos fez perder a copa de 2006? E será que não é o tratamento que Dunga, hoje técnico da seleção, dá a imprensa (sem permitir vantagens ou invasões) e aos próprios jogadores, no que diz respeito a concentração, que o fez tão mal quisto pela imprensa inicialmente, mas ao mesmo tempo que rendeu o melhores resultados do últimos anos para a seleção brasileira?!?! Acho que assim como o Saldanha queria na época, o Ronaldo quer é uma folga pra curtir…

  10. Se os jogadores brasileiros, em sua maioria, fossem profissionais, isso seria verdade.
    Hoje, um dos poucos jogadores Brasileiros que jogam no exterior que são profissionais de fato é o Kaká.
    A grande maioria (vide Adriano, Ronaldinho gaucho e o próprio ronalducho, e o mais clássico de todos, Romário), joga ou jogou muita bola mas se cuida ou cuidou pouco. São jogadores tão bons que mesmo sem se cuidar fizeram e ainda fazem a diferença. Acreditar que o Ronaldo que mais tempo fora da concentração pra ficar em casa, como ele mesmo alegou, é acreditar em papai noel…
    Sou adepto do liberdade com responsabilidade, desde que de fato exista a responsabilidade…

  11. Creio que em outros países culturamente mais evoluídos isto seja possível e realmente aconteça. Mas no Brasil? Aqui jogador de futebol normalmente tem uma cultura bem tosca, creio que seja bem difícil. Além disso, a falta de compromisso com o trabalho é um ponto forte do brasileiro comum.

  12. Eu iniciaria o meu comentário com uma pergunta:-Sabe o porque
    o jogador europeu recebe poucos cartões amarelos dentro de um Campeonato?
    -Porque pela sua criação ele tem aversão em ser advertido perante uma plateia, e ser chamado a atenção por uma atitude
    que fere as regras do futebol…é uma questão de coerencia social
    por aquilo que ele exerce dentro da prática de sua profissão como
    homem.
    Comece a deixar os nossos jogadores de futebol fora do controle
    da concentração e voce vai ver onde vamos parar…começa a cair
    o preparo fisico, voce encontrará varios atletas frequentando as
    grandes noitadas como baladeiros etc. Infelizmente os nossos
    atletas não estão preparados para serem libertados do regime de
    concentração e pronto. Pergunto ainda mais, qual atleta de futebol
    procurou pegar um livro de regras para saber como aproveita-las
    em seu favor.

  13. O debate sobre a concentração de atletas é antiga no Brasil, chegou a hora de acabar com essa bobagem no futebol e outros esportes, os atletas são prifissionais e bem remunerados, é só colocar clausulas mais rigidas nos contratos com relação as farras e noitadas, (PEGOU NO FLAGA – MULTA), e de forma progressiva.

    O Ronaldo reclama mais é um que não tem estrutura para ficar solto antes de uma partida ele é capaz de cair na farra e alegar que estava triste etc. e tal e como ele tem uma turma enorme que reclama mais não tem responsabilidade de um verdadeiro profissional.

    VOLTANDO A POLÍTICA – VAMOS ACABAR CO O SENADO O PAIS PODERIA SER UNICAMERAL, FUNCIONARIA MUITO BEM O SENADO É UMA INSTITUIÇÃO ARCAICA E NÃO CUMPRE O SEU PAPEL A MUITOS E MUITOS ANOS – SE É QUE JÁ CUMPRIU.

  14. crei q isso só ocorre porque os jogadores realmente demonstram q são crianças imaturas como vc mesmo disse. Vale lembrar q o póroprio ronaldo ( o mesmo q não aquenta mais ficar concentrado) escapou da concentracão do timão p ir a uma boate durante a pré temporada !

  15. No Brasil(entenda-se no Rio de Janeiro/Flamengo), nunca iria dar certo.Os dirigentes, são ladrões, jogadores que pensam q são craques, não são profissionais, mesmo com salário em dia;imagina na balburdia que “IMPERA” no Flamengo.Estou citando o Flamengo, por vivenciar mais o dia-a-dia por ser rubro-negro, mas em muitos outros times, tb não há profissionalismo.

  16. Estou de Acordo com vc e digo, a ESPN falou muito nisso, todos seu comentaristas se mostraram a favor de ronaldo e da discussão da questão concentração. Já o Sportv, como sempre, mostrou seu lado conservador e discutiu pouvo o assunto sempre sendo afovor a concetracão

  17. Acho que como funcionários do clube os jogadores devem estar presentes quando é necessário seu serviço. A vida e distração com a família são importantes e esse tempo deve ser preservado para o maior rendimento do atleta em campo. Caso o rendimento dos mesmos piore dentro de campo os primeiros a perceberem a importância do profissionalismo serão os atletas, pois isso afetará a parte que mais machuca o homem…O Bolso!

  18. Concordo em partes que a concentração por longos dias é excessiva.

    Mas por outro, não imagino como seria se não houvesse a mesma.
    se a minha memória não fala, o Ronaldo (Que foi quem levantou a “bola”) atuou no segundo jogo contra o Atlético PR, após o término da partida informou sobre a contratura na panturrilha, ficou alguns dias e jogos de molho. Quando retornou contra o Vasco na segunda partida, aparentava ter engordado uns 10 kg. Quer dizer, se não houvesse a concentração, como ele estaria então??

  19. Realmente teria que ser um debate, pois li o que Ricardo Gomes disse e também tem fundamento. O Brasil é quase um continente, distância de 2000, 3500 km e seria impraticável os jogadores se encontrarem no dia do jogo. Se forem debater mesmo, verão que aqui no Brasil tem tantos fatos prós como contra.

  20. Se analisarmos a quantidade de casos negativos envolvendo jogadores, veremos que, diante da quantidade destes profissionais existentes no Brasil o percentual é mínimo.
    Melhor seria cuidarmos dos políticos que elegemos com a mesma seriedade.
    Quatro dias de concentração significam 96 horas “dentro” da empresa. Deve desgastar mesmo.

Deixe uma resposta para Flavia Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *