“Uma pequena mensagem de Oprah, um salto gigantesco para o Twitter”

“Uma pequena mensagem de Oprah, um salto gigantesco para o Twitter”

Outro bom texto  do “New York Times” sobre o Twitter, assunto que o jornal acompanha com lupa. Comenta a chegada da apresentadora Oprah Winfrey à plataforma. “Uma pequena mensagem de Oprah, um salto gigantesco para o Twitter”, ironiza o jornal, parafraseando Neil Armstrong ao pisar na Lua (“Um pequeno passo para o homem, um gigantesco salto para a humanidade”).

O jornal relata que o Twiiter saltou de 8 milhões de visitantes únicos em fevereiro para 14 milhões em março – imagine agora, em abril, depois que a popularíssima Oprah estreou, com uma mensagem em caixa alta (gritando, em linguagem da Internet): “HI TWITTERS. THANK YOU FOR A WARM WELCOME. FEELING REALLY 21st CENTURY.”

O jornal ouve Andrew Davis, de uma empresa de marketing online, sobre as implicações desta explosão. Ele aborda uma questão que já havia me chamado a atenção: quanto mais pessoas você segue no Twiiter, maior a quantidade de informações que você recebe e, portanto, maior o desafio de selecionar o que interessa. Davis fala da dificuldade, crescente, de as pessoas “digerirem” o conteúdo que recebem via Twitter.

4 Replies to ““Uma pequena mensagem de Oprah, um salto gigantesco para o Twitter””

  1. Mauricio
    ME RECUSO A APRENDER INGLES

    A LINGUA REAL DO MUNDO É TUPY-GUARANI, QUE VIROU ARAMAICO, QUE VIROU PORTUGUES.

    NÃO SOU ANTI-AMERICANO (POVO) SOU ANTI INGLES (LINGUA)

  2. Maria Amoraaaaaa:P
    Ah eu comecei a usar e estou gostando
    enfimmmmmmm mais um programa para eu me viciar . kkkkkkk
    Estou ficando craque em blog e Twitter Maria Amora kkkkkk . bjss

  3. Maurício,

    Alguns blogueiros, como o Cris Dias http://tinyurl.com/dbaxn5 já andaram dizendo, e eu concordo, que se você segue mais de mil pessoas no Twitter, você na verdade não segue ninguém. Eu diria que esse número está até muito “alto”.

    Eu tenho por hábito correr a “timeline” quando entro no Twitter para ver o que foi dito no momento em que eu estive off line.

    Quem tem mil seguidores não pode nem pensar em fazer isso – vai ter que, no máximo, ler as notícias que surgem enquanto está on line – isso se a pessoa conseguir mesmo ler todas as mensagens que surgem em sua tela a cada vez que atualiza a página. Por isso, concordo com Andrew Davis sobre os paradoxos do crescimento do Twitter

    Resposta do Mauricio:
    É esse, exatamente, o ponto discutido no texto do “New York Times” que eu linkei no post. Obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *